segunda-feira, 20 de junho de 2011

ponto final



o medo dos vazios,
de todas as vírgulas,
é mais que silêncio,
mais que parágrafo,
é ponto final...

======

12 comentários:

Paralelo Longe disse...

Caro João,

A poesia para além de bonita, não podia ser mais verdadeira. As vírgulas, as hesitações e os vazios, não são mais que os medos que se escondem nas sombras daquilo que já não augura boas premonições. Fiquemo-nos pelo ponto final, a medida sensata de todos os silêncios. Bjs e parabéns

Martinho da Silva disse...

A destreza da palavra no sublime alcance da ideia.Como sempre,magnifico.Abraço

Paula Raposo disse...

Concordo inteiramente. Beijos.

Severa Cabral(escritora) disse...

Adoro visitar-te...mas vc não...mas estou aqui lendo tão poucas linhas...mas com um conteúdo imenso...cansei de ler...muito profundo...onde poucas palavras dizem tanto...passa lá no meu cantinho e deixa teu rastro...
bjsssssssssss

Camila Monteiro disse...

Que legal teu texto, adorei a escolha das palavras! Beijos

OceanoAzul.Sonhos disse...

O medo são reticências que muitas vezes nos fazem parar, num ponto final.
Um abraço
oa.s

Batom e poesias disse...

Vim agradecer e retribuir a visita.
Gostei muito do poema em reticências.

bj
Rossana

AOSOLHOSDAALMA.BLOGSPOT.COM disse...

joão quando se chega ao ponto final
o que nos resta é um buscar pelo recomeço de um novo rumo novo caminho
que mesmo que não seja por nos visualizado no momento esta ali a nossa frente,é só seguir andar adiante,todo o final tem um recomeço
lindo seu poema profundo mexe com
nosso imaginario,parabens um abraço marlene

♪ Sil disse...

João,

Eu acho que todos nós temos esse medo.
Do vazio.
Dos vazios..

Muito bonito seu blog, e belas são as tuas palavras.

Um grande abraço!

claudete disse...

É João...a pausa é necessária quando as pontuações geram conflitos em nossa vida. Abraços.

RELTIH disse...

EXCELENTE PENSAMIENTO.
UN ABRAZO

Graça Pires disse...

Ter medo dos vazios. Pôr o ponto final naquilo que é preciso...
É isso mesmo, amigo.
Um beijo.