terça-feira, 17 de dezembro de 2013

natal 2013


que o natal seja um momento introspectivo e que todos pensemos naqueles que, vítimas da sociedade, têm pouco ou nada para sobreviver à indiferença do homem.


======

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Até dia 3 de Janeiro pode ser vista a minha exposição "COOLagens"
na Biblioteca-Museu Republica e Resistência, em Lisboa


Até dia 3 de Janeiro pode ser vista a exposição colectiva
em que participo no Auto Club Médico Português, em Lisboa


terça-feira, 12 de novembro de 2013

domingo, 13 de outubro de 2013

A minha participação no "Salão de Outono" do Auto Club Médico Português






Exposição patente ao público até dia 1 de Novembro, de 2ª a 6ª feira, das 10.00 às 13.00 horas e das 14.00 às 18.00 horas, na Av. Elias Garcia, 123 - 1º Esqº, em Lisboa


terça-feira, 20 de agosto de 2013

COOLagens



No próximo dia 24 de Agosto, a convite da Camara Municipal da Nazaré, inauguro na Biblioteca Municipal, a exposição "COOLagens a qual resulta dum conjunto de trabalhos em que usei materiais como papel, cartão, tecido, madeira, plástico e tinta acrílica.

Por ser um conjunto de trabalhos diferente do que, habitualmente, exponho, venho convidá-los a visitar a exposição a qual estará patente ao público até ao dia 15 de Setembro.

Conto com a vossa visita e, sobretudo, com a vossa critica.

======


segunda-feira, 19 de agosto de 2013

parabéns, mãezinha!


Embora o teu olhar comece a perder-se nas brumas do passado
e a memória a desvanecer, continuas aqui e aqui, junto de ti,
queremos dar-te os parabéns pelo teu 91º aniversário e dizer
do nosso obrigado pelo teu amor, pela tua dedicação, por tudo o que sempre foste para nós e para com o teu semelhante.
É em cada ruga da tua face que o tempo marcou a mulher, a esposa e mãe, a mulher de luta, a mulher solidária!
OBRIGADO, MÃEZINHA!


======

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

se eu fosse plural


se eu fosse plural,
se debandasse de mim,
seria pássaro,
rumo, distância,
alcance sem fim...

======

foto do autor

======

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

quinta-feira, 25 de julho de 2013

...e ei-los moribundos...


…e ei-los moribundos
no silêncio dos olhos,
nas palavras que são,
no querer da revolta,
na inércia da acção…


======

foto de autor desconhecido
retirada da internet

======


segunda-feira, 22 de julho de 2013

segunda-feira, 20 de maio de 2013

sexta-feira, 17 de maio de 2013

apresentação de "IN confidências" no Porto



Apresentação no Porto, no passado sábado dia 4 de Maio, do meu livro "IN confidências.
A mesa foi constituída por mim, por Carlos Jorge Mota que me apresentou e a quem reconhecidamente agradeço a iniciativa e o trabalho que lhe dedicou e Danyel Guerra que apresentou o livro


O escritor e jornalista Danyel Guerra que apresentou e se pronunciou sobre "IN confidências", criticando e analisando minuciosamente os poemas do livro.
Um grande obrigado, Danyel!
Você..."arrazou"!


Manaira Aires Athayde que teve a gentileza de ler alguns dos poemas de "IN confidências".
Leu, teatralizou e fê-lo muitissimo bem.
Obrigado, Manaira!


Com os intervenientes na apresentação de "IN confidências" 

======

Um agradecimento especial à Casa da Beira Alta que cedeu as suas instalações, a todos os presentes e em particular a quem se deslocou ao Porto para me acompanhar neste evento.

======

fotos da amiga e fadista Isabel Maria, a quem agradeço

======

quarta-feira, 1 de maio de 2013

INconfidências, apresentação no Porto


No próximo sábado, dia 4 de Maio, apresento no Porto o meu último livro de poesia.

Conto com a presença dos meus amigos do norte (...e não só!)

Sejam bem vindos!

Conto convosco.

Um agradecimento especialissimo ao Carlos Jorge Mota que proporcionou e organizou este evento.

Sem a sua prestimosa ajuda ele não seria possivel.


======

sexta-feira, 26 de abril de 2013

avô VIDEIRA


Caro avô Videira

Hoje era o dia do teu aniversário.

Lembro-te com saudade, lembro o vazio das palavras que deixaste em nós e, particularmente, nos teus netos.

Lembro as tuas convicções, a firmeza das tuas ideias.

Lembro os teus gestos pouco carinhosos, mas o amor`e a determinação que tinhas às causas.

Lembro que pouco falavas do teu destemor pela luta e pelas acções que encabeçaste.

Hoje, lembrando-me de ti, tenho a coragem necessária para chamar biltres e fascistas à escumalha que nos desgoverna.

Lembro que muito de ti, só soube depois da tua morte, tal era a imensa simplicidade de cada gesto teu, de cada acção em que te determinaste e tiveste um batalhão de seguidores.

Lembro a forma como eu e meu irmão fomos segregados na escola por sermos teus netos...

Lembro quando depois do 25 de Abril, sendo conhecido por teu neto grangeava respeito e admiração junto dos teus velhos correligionários .

Lembro o carinho que Emidio Santana e Palma Inácio tinham por mim quando souberam que era teu neto...

Tenho orgulho em ser o que sou e, sobretudo, por não deixar de ser a voz do teu sangue.

Foste, na verdade, um revolucionário, um homem impar que saíu a pé da sua aldeia, a Bendada, calcorreando até Lisboa os caminhos da aventura e que combateu em França na guerra de 1914/1918.

Lembro que me disseram que a tua primeira prisão se deveu ao facto de ao regressares à tua aldeia a banda ter tocado o hino nacional em tua homenagem.

Que logo após este "precalço" deste fruto à semente da democracia e da liberdade começando a insurgir-te contra a politica de então, continuando a lutar pelo que acreditavas e sabias faltar ao povo oprimido do teu país.

Foste um homem admirável, um revolucionário destemido que anos depois da tua morte foi considerado um dos cinquenta irremisiveis inimigos da ditadura de Salazar.
A tua luta teve como “recompensa” a tua deportação para os Açores e daqui para o Tarrafal, sendo um dos presos politicos que integraram o primeiro contingente do "campo da morte lenta".

Nos Açores, antes da tua prisão na Terceira, deportado em Santa Cruz da Graciosa, alfabetizaste um vasto numero de locais que viria a agradecer e homenagear-te com um pergaminho onde todos expressaram o seu reconhecimento.

Anos mais tarde quando visitei Santa Cruz da Graciosa, conheci um desses teus "alunos", um velhinho que ao saber quem eu era, agarrou-se a mim e a chorar, 
agradeceu o que fizeste por ele e a muitos conterraneos, em termos de instrução.

Que emoção vivi abraçado a esse velhinho, humilde e reconhecido…

...E que orgulho senti, avô....

Tu foste um indeviduo fóra do comum numa sociedade que então borboletejava ao redor de Salazar…

Lembro a tua exigência aos netos para que estudassem, se “fizessem” gente e servissem a sociedade.

Lembro das vezes que nos chamavas ao quadro de esola que tinhas em tua casa para examinares o nosso saber…

Lembro que aos dez anos ensinaste-me quais eram as capiitais dos países da Europa, os seus regimes políticos e principais fontes de economia…

Que em 1976 ao regozijar-me por ter vencido as eleições no "meu" sindicato, olhaste-me com olhar grave e disseste: Não te esqueças que és um trabalhador!

Lembro tantas coisas, avô…

Lembro que em 1995 fui ao Tarrafal com Edmundo Pedro e Josué Martins Romão e que este teu companheiro do campo te teceu os mais elogios.

Ele comunista, herói da revolta dos marinheiros, tu republicano, fundador e presidente da Organização Revolucionária dos Sargentos.

Recordo que me disse que a vala que circundava o campo havia sido cavada pelos dois, que guardava gratas memórias do teu comportamento e camaradagem.

Disse-mo num imenso e apertado abraço.

 Emocionámo-nos os dois.

…E tu que dizias que os homens não choram havias de ver como chorei com esse testemunho de autenticidade…

Que firmeza de convicções e caracter tinha esse teu companheiro, de desterro, de sofrimento…

Avô, tu não chegaste a saber, mas são muitos os livros que falam de ti, do teu destemor, do teu amor à democracia, à liberdade…

Tenho-os todos! Guardo-os com redobrado orgulho.

De ti são tantas as histórias que não caberiam aqui.

Hoje, completarias mais um aniversário.

Hoje escrevo para ti.

Para o homem, para o exemplo que nos legaste, como avô, como revolucionário, como patriota e de cujos feitos muitos se assenhoraram.

Um homem e um revolucionário a quem por sua vontade, Raul Rego, atribuiria a Ordem da Liberdade.

Ninguém ta concedeu ou se preocupou em lembrar-se de ti.

Confesso que injustamente.

Contudo, hoje que completarias mais um aniversário, ela é-te concedida, ainda que simbólicamente, pelos teus netos João, Adalberto, Elvira e Elsa, pelos teus bisnetos Cristina, Ana Maria, Tiago e Pedro, pelos teus trinetos João, Clara e Afonso.

Para nós, foste um exemplo e serás sempre um dos revolucionários destemidos deste país onde os homens traem os desígnios da pátria, branqueiam a história, ignoram os heróis anónimos.

A concluir, quero lembrar e homenagear João Manuel Aristides Duarte e João Carlos Taborda Manata, deputados municipais da CDU à Assembleia Municipal do Sabugal e que nela apresentaram proposta para que o nome do meu avô fosse homenageado postumamente, bem como a recomendação aos eleitos daquela Assembleia para que a Comissão de Toponimia Municipal não esqueça o nome do ilustre filho do Concelho.
Estamos profundamente gratos a estes deputados municipais e a todos aqueles que os acompanharam com o voto favorável à sua proposta.

Bem hajam




======




terça-feira, 23 de abril de 2013

25 de Abril, sempre!



Quero gritar a plenos pulmões  VIVA  O  25  DE ABRIL!

Quero dizer do meu total repúdio pelos biltres que nos desgovernam!

Portugal nunca será vosso!

Esta é a ditosa pátria amada, não o país que vocês vilipendiam!

VIVA O 25 DE ABRIL!

VIVA PORTUGAL!


======

sábado, 13 de abril de 2013

"Abril com Arte" na Fábrica da Pólvora em Barcarena



Devido à impossibilidade de estar presente no dia da inauguração, visitei, agora, a exposição de pintura "Abril com Arte" a qual, com o apoio da Camara Municipal de Oeiras, está patente na Fábrica da Pólvora, em Barcarena, até ao próximo dia 27 de Abril.
Participam 43 artistas.
Nela estreio e apresento um dos trabalhos da série "Roots" com o título "Electric lines from Osaka".
Trata-se duma pintura a acrílico em tela com as dimensões de 50 x 70 cm.

======

quarta-feira, 10 de abril de 2013

descalças o cansaço


descalças o cansaço
no silêncio inviolável
da nudez...

...e qual gata borralheira
procuras na medida,
na dimensão do sapato,
a guarida do teu pé...

======

foto de NEIVA SEHN
proíbida a sua reprodução.
autorização concedida ao autor do poema

======

terça-feira, 2 de abril de 2013

exposição colectiva de pintura, desenho e escultura na Fábrica da Pólvora, em Barcarena


Venho convidar-vos a visitar a exposição " ABRIL COM ARTE" a qual tem o apoio da Camara Municipal de Oeiras.

Para além de eu próprio, participam nesta colectiva quarenta e três artistas que exibem trabalhos de pintura, desenho e escultura.

Pela diversidade dos trabalhos, pelo engenho e pela arte de cada artista, julgo valer a pena a deslocação até à Fábrica da Pólvora em Barcarena.

======

sexta-feira, 8 de março de 2013

mulher, sol, sal e semente



mulher…
…mesmo na sombra,
és luz,
o sol da claravidência,
o sal
e a semente,
a flor da essência.

mulher,
assim e sempre!



======

foto de autor deconhecido

======

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

mesmo que da imprevisibilidade...


...mesmo que da imprevisibilidade
resulte uma lágrima,
uma pérola,
o que fique de mim,
talvez nunca saibas
da tristeza,
da dor do meu fim...


======

foto de autor desconhecido

======

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

como essa caricia...


como essa carícia
tão breve e fugaz
queima a saudade,
a rotina passageira,
o abraço sem alcance…

como essa carícia
tão breve e fugaz
rompe o vazio,
o silêncio da tristeza,
a luz do olhar frio…

======

foto de autor desconhecido

======

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

ditas duras



passa o tempo

passa

na dura dita

que sempre se renova,

só não mudam

as ditas duras

que o povo tanto reprova.


======

Este, como todos os poemas do autor estão registados
na SPA e no IGAC - Lisboa - Portugal.

======

foto de autor desconhecido

======