terça-feira, 8 de novembro de 2011

desarmo...



desarmo a nudez em teu corpo,
a espera
que as horas eternizam...

desarmo a nudez em teu corpo
e nele reconcilio
o fulgor.
o vibrante,
a dádiva,
os nossos confins...

======

2 comentários:

Ricardo Freitas disse...

Sensual,curto,incisivo.

elvira carvalho disse...

Desejo o maior sucesso amigo.
Um abraço