quinta-feira, 19 de junho de 2008

(dobrando a raiva) sou...



dobro a raiva na curva do olhar,
fermento o silêncio, os vícios,
as virtudes famintas...

desenho caricias, beijos solúveis,
verdades esquecidas, fomes saciadas...

sou o incêndio da lembrança, o ressuscitar comedido,
a mão guerreira, o berro igualitário...

sou breve, inútil, compacto,
clamor do desespero moribundo,
actor de um só acto,
poema que em ti inundo...

12 comentários:

pin gente disse...

forte e belo o poema que inundas...

abraço
luísa

José Felisberto disse...

Direi tão só e apenas: Excelente poema! Você e as suas palavras fortes esmagam a vulgaridade do que se escreve por aí. Um grande abraço de parabéns. Continuí.

Su disse...

gostei de ler.te

jocas maradas de sentires

mariam disse...

lindo!
também eu me sinto às vezes
"breve...inútil...compacta"
perante o que vejo, leio, escuto d`algumas notícias deste mundo...

um sorriso :)

xistosa - (josé torres) disse...

Felizmente há luar!
A raiva que não é contida como se transforma.
A transmutação é a verdade dum ser verdadeiro.
Por isso é que pode e deve existir um actor dum acto só.

Profundo e belo ...

Uma estrela errante disse...

Olá,

Belo poema...profundo, sentido...um momento de pranto...

Beijo

singularidade

paula silva disse...

Não me canso de ler a tua poesia. Sem sombra de dúvida, do melhor que se edita na net. És um poeta que prestigia todos aqueles que o foram e são.Muitos parabéns! Beijos

Alberto Correia disse...

Inútil é como me sinto neste mundo onde vive a minha sociedade, que parece que não a conheço já. Onde está o homem cuja palavra era como uma pedra sólida e não era preciso escrever contractos?
Gostei e quero mais deste blog, exposições quero saber todas as que hajam, se não estiver lá alguém irá para me contar.
Um abraço e até um destes dias por aí.

Lia Noronha disse...

João: maravilhosa poesia...visitei o seu site e adorei1
Te encontrei no Recanto das Letras tbém.
Abraços carinhosos pra ti.

Cândida disse...

ó poeta, precisas de publicar os teus trabalhos.

Sininho disse...

Completamente rendida a esta fusão de palavras cúmplice de sensações únicas

Um abraço carinhoso*

lobo! disse...

Gostei. Muito!
Gosto dos seus poemas, simples mas arrebatadores! Com sentimento(s)!
1 Abraço.