segunda-feira, 16 de junho de 2008

numa lágrima de sangue...



numa lágrima de sangue

destilei a dor,

a mágoa e o sofrimento,

a palavra...amor!

35 comentários:

Madalena Barranco disse...

Olá João Videira, seu blog é muito criativo tanto em desenhos como em poesia! Adorei seu poeminha que em poucas palavras fala tão bem do amor.
Um grande abraço e muito obrigada pela sua visita e comentário em meu bloguinho.

Caçadora de Emoções disse...

Palavras ternas de afecto...
Ainda bem que está de volta.
Também estive longe por algum tempo. Obrigada por ter regressado ao meu cantinho. Não deixe de aparecer...

Um abraço,

Olá!! disse...

Uma lágrima pode afogar...
Beijo grande

Helen Dante disse...

Querido poeta! Que seu regresso seja sempre uma luz no amanhecer de nossas vidas...Todas as lágrimas, mesmo as de sangue, sempre deixam em nós, uma sutil purificação...que meu abraço encontre o teu sorriso!!!Boa sorte e sucesso sempre!!

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Poema que reflete a minha atual condição. No dia dos namorados, fui ao geriatra para saber que o meu coração está batendo fraco demais, a pressão estpa muito alta (20/18) e o inchaço dos pés, que já dura um mês, é má circulação. Tudo relativo à sangue. Além do sangue daa lágrimaa que escorreram dos meus olhos quando, no domingo, terminei um namoro de 3 anos.
Portanto, tenho que ficar de cama, e o meu único passatempo é a blogosfera. Ontem, fiz um post em intenção de uma amiga daqui e gostaria da sua apreciação. Se o julgar digno de um comentário, será muito bem acolhido. Caso contrário, não tem problema.
wwwrenatacordeiro.blogspot.com/
não há ponto depois de www
Um abraço fraterno,
Renata

Ruela disse...

bela arte,
parabéns.

mariam disse...

essa lágrima destilou a dor, varreu do coração um amor, deixando-o limpo, à espera de um outro ...

um sorriso :)

Maria disse...

São as que mais doem...

xistosa - (josé torres) disse...

Profundamente profundo !
(a redundância é propositada)

Lúcia disse...

Está destilada está resolvida, a dor? Não, que no amor nunca nada está resolvido. Ou sim? Então já não é amor... digo eu...
Abraço

Catalina Zentner disse...

Joao, adoro tu idioma, tan musical.
Gracias por tu visita, amigo, espero que vuelvas, yo también vendré otra vez.

Rosa Maria Anselmo disse...

Amigo João

No próximo dia 21 de Junho, pelas 16 horas estarei na Livraria Bulhosa Entrecampos, em Lisboa, para apresentar o meu Livro " Sinais do Silêncio".
Depois, no dia 27 pelas 21 horas, estarei na FNAC no Norteshopping.
Terei o maior prazer em o ter a meu lado nesse dia.

beijinhos
Rosa Maria Anselmo

DelfimPeixoto disse...

Li e senti...
Abraço

Rosa dos Ventos disse...

E eu quase deixei cair uma lágrima de uma mistura difícil de definir!

Abraço

Juani lopes disse...

volvemos llenos de amor, estupendo
saluditos

lua prateada disse...

Obrigada amigo pela passagem no meu cantinho e, pela volta pois quando alguem se vai "mesmo temporáriamente"estamos sempre com receio de que não volte...
E...tua lágrima de sangue...quantas por ai correm amigo...
Beijinho prateado com carinho
SOL

Gerlane disse...

É, e numa lágrima de sangue derrama-se tudo isso!

Beijos!

Rosinha Barroso disse...

Meu querido, até que enfim consegui chegar até aqui para poder colocar um pequenino comentário, mas de coraçao. Este teu poema é tão triste que doi na alma. Lágrimas de um amor que machucou, mas conseguiu em poucas linhas ser belo apesar de triste. Que esta lágrima se transforme em um amor sorriso. Mil beijos, Rosinha

sinhã, a. disse...

Vá: agora junta alegria e bem-querer. ;-)

Patti disse...

Não gosto de lágrimas de sangue e muito menos por amor!

E se existem é porque alguém fez batota.

Paula disse...

Lindas palavras!

Lindo blog!

Abraço

Oris disse...

Espero que tenhas ficado em paz depois deste desabafo...
:)

Bonito poema.
Estive a espreitar o teu blogue e encontrei muita coisa boa. Vou voltar para poder ler com mais atenção.

Obrigada pela visita ao meu canto e pelo comentário deixado.

Beijitos

Ana Maria disse...

Cheguei!!!!!!!!!!!!!!!!
Bom dia!
Lindas palavras,
lendo e sentindo!
Obrigada pas visitas.
Postei bem simples, pois estou com um probleminha no meu pc.
Logo estarei contando minhas aventuras nessa viagem.
Beijinhos!

Graça Pires disse...

A palavra amor às vezes dói...
Um abraço.

carla mar disse...

Aqui... o AMOR, também doí.
Beijinho em ti, hoje, com uma lágrima [... de AMOR].

:(

su disse...

Um blog cheio de arte e de cuidado nessa mesma arte! :))

O que não é por amor sem ser esforçado ao máximo?! :))

Beijinhos da su.

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

E cá estou eu de novo, poeta! C Ainda doente, sem poder sair ao sol, chorando lágrimas de sangue... Mas hj fiz um post chamado "Curtas sobre filmes imperdíveis" que está logo abaixo da Trilogia. Passe por lá:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com/
não há ponto depois de www
Um abraço,
Renata

Sophiamar disse...

E tanto se diz em tão poucas palavras. É o amor! Neste caso a dor, a mágoa, o sofrimento...

Um abraço

Sorrisos em Alta disse...

Meu homónimo, bonitas palavras!

E obrigado pela visita!

Um abraço

Justine disse...

Belo conjunto de palavras e imagem!

flor de lotus disse...

Você é um artista de rara sensibilidade.Nota-se e sente-se em cada poema, em cada uma das suas telas. Os meus parabéns.

Xinha disse...

Vim agradecer a sua visita e linda palavras no meu cantinho, e deparo com um grande blog, escrito com muito sentimento e belas imagens.
É um verdadeiro talento!!

Lindooo post.

Xi-coração

Margarida disse...

captou me a atençao.. a simplicidade das palavras, no seguimento do lugar plano..que esta a minha alma...
um beijinho...
obrigada pela visita...

Auréola Branca disse...

Senti um aperto no peito ao ler esse verso. Acho que se deva ao fato de estar intimamente ligado a minha alma.

CHRIS disse...

Sabias palavras, lindas imagens...