terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

os Monstr'inhos, finalmente!



Ainda que "timidamente" já tenha apresentado uns quantos em Carcavelos (Portugal), vou, finalmente, exibi-los, em Lisboa, nas versões em que os "conjecturei", ou seja, em papel e em tela.

Devo confessar que nunca dei grande importância a este trabalho.

Contudo, face à pressão e ao entusiasmo de alguns amigos ligados às artes plásticas, vejo-me "forçado" a exibi-los perante um público mais vasto.

Tudo começou como um entretém de passar o tempo e que, agora, exponho.

As suas raízes estão já muito diversificadas estendendo-se não só em Portugal, mas, também, ao Brasil e até, imagine-se (!), ao Oriente.

São diversos os que "residem" em alguns lares de Portugal e do Brasil (em Brasilia, principalmente).

Não é o meu trabalho de eleição, contudo, é-o para alguns amigos artistas plásticos que vêem nos Monstr'inhos um trabalho "expressivo" e, sobretudo, diferente.

Quem tiver curiosidade em ver esse trabalho ao vivo e a cores, só tem de deslocar-se à galeria Dominio Publico, ajuizar, deixar a sua critica e se gostar...comprar!

Afinal um (bom) Monstr'inho sempre dará cor e "vida" à sua casa.



========================



Sobre este trabalho, convidei a pronunciar-se Angela Ladeiro, designer industrial,
a qual, simpàticamente, redigiu o comentário que segue para o folheto de apresentação da expo...

" Não será sem surpresa que os visitantes apaixonados pela pintura se irão deparar com os " Monstr'inhos" do João.

Integrados num processo de pintura em acrílico, conversam, discutem, movimentam-se, despertam emoções.

Uma presença que dá mais força ao acto criativo.

Acrescentam vida, provocam e envolvem-se na nossa fantasia.

Cada quadro é um apelo aos nossos sentidos, um desafio maior á nossa imaginação.

Cada vez que os apreciamos, surpreendemos um novo ângulo inventivo.

E se nos abstrairmos do simbolismo do " Golias "... eles são uns " Monstrinhos " bem simpáticos."

========================



Sobre esta exposição, escreveu Victor Alegria, (meu) editor e proprietário da Thesaurus Editora, em Brasilia...

"Na mesa do café nascem ideias, turbilhões de fantasias, sonhos distantes.

Um papel, uma caneta são “ingredientes” bastantes para que a imaginação divague e aconteçam riscos, figuras indiscritíveis, poemas, prosas, tudo a que o correr da caneta nos leve…

Na Brasileira do Chiado, na Thesaurus em Brasília ou na sala de espera dum ministério da capital Brasileira, nasceram muitos dos “Monstr’inhos” que aqui se expõem.

São simples, despretenciosas figurinhas que “falam” entre si na harmonia de gestos muito próprios.

Gestos que levaram o seu autor a “titulá-los” segundo a forma como, casualmente, são dispostos.

Hoje e aqui são expostos. Não porque caracterizem a verdadeira expressão plástica do seu autor, mas porque foi consecutivamente “empurrado” a fazê-lo por outros artistas do mesmo oficio

Estamos certos que este trabalho não menospreza o artista plástico, nem tão pouco envergonha o poeta que é João Videira Santos.

Certo, certo é que cabe ao público o juízo final do que aqui se expõe."

========================

Japão, China, Coreia, oriente, os Monstr'inhos chegaram aos confins do mundo...



========================



Exposição "Monstr'inhos":
Inauguração e vernissage, dia 4 de Março às 18.30 horas.
Patente ao público de 5 a 24 de Março,
de segunda a quinta-feira das 08.00 às 20.00 horas,
sexta-feira e sábado das 08.00 às 24.00 horas.

Encerra aos domingos e feriados.

DOMINIO PUBLICO concept space
Rua de Entrecampos, 12-B LISBOA
Telefone: 21 01 00 892
mail: publico@gominiopublico.pt

=========================

Um GRANDE obrigado a:

ANGELA LADEIRO - pelo texto e amizade
ANTÓNIO CASIMIRO - pelo concept space
DELFINA MENDONÇA - pelo apoio e amizade
GREYSCALE - pelo apoio na pré impressão
HATIVAR - pelo apoio e consultadoria
IDEIAGRAFIX - pelo apoio, design e impressão
INAPA - pelo apoio nos papéis
MANUEL CABRAL - pelo interesse, apoio e amizade
VICTOR ALEGRIA - pelo texto e amizade

=========================

33 comentários:

Maria Constante disse...

Não vou faltar!
Lá nos veremos.
Felicidades

Artista Maldito disse...

Olá João

Não podia deixar de vir aqui manifestar os meus votos de sucesso nesta exposição assim como nas próximas que se seguirão. Muito gostaria de estar presente e se tiver ocasião dou um saltinho até aí. E dou-lhe os parabéns pelos Monstrinhos, são pintura expressiva, viva e cheia de frescura.

Beijinho
Isabel

Ninfa da praia disse...

Puxa! Até que enfim!
Finalmente vamos ver essas figurinhas.Beijokas

Paula Raposo disse...

Um decerto sucesso...beijos.

Estrella Altair disse...

Caro amigo alegro-me muito de que estes ilusionado com este projecto que com certeza, sera um exito e que te une a muitos amigos e gente que te aprecia como é Angela, também conhocida minha só por a internete, mas aprecio-la muito.

Vou para Lisboa com o meu esposo o dia 11 de Março e se posso passarei por teu exposicaon, não é seguro, mas se posso o tento, ou bem na sexta-feira dia 13 ou o sabado dia 14.

Desejo-te o melhor neste novo trabalho.

Um abraco muito forte y até cedo

Estrella Altair disse...

Caro amigo alegro-me muito de que estes ilusionado com este projecto que com certeza, sera um exito e que te une a muitos amigos e gente que te aprecia como é Angela, também conhocida minha só por a internete, mas aprecio-la muito.

Vou para Lisboa com o meu esposo o dia 11 de Março e se posso passarei por teu exposicaon, não é seguro, mas se posso o tento, ou bem na sexta-feira dia 13 ou o sabado dia 14.

Desejo-te o melhor neste novo trabalho.

Um abraco muito forte y até cedo

Humana disse...

Querido João,
o que eu gostaria de poder ver de perto estas tuas obras e conhecer-te pessoalmente.Está tudo muito complicado mas um dia irei concerteza concretizar este meu desejo.
É com muito carinho e admiração que te desejo o maior sucesso que tenho certeza, terás!
Um beijo enorme.

xistosa - (josé torres) disse...

Os portugueses sempre viajaram por todo o mundo.
Foram e voltaram e talvez se perca um pouco com a ausência da presença ...
A obra fica e é um marco artístico dum pequeno povo com grandes valores.

Que tudo se desenrole como anseia e com o sucesso que se antevê.

Carla P.S. disse...

Até iria, se em Lisboa me encontrasse.
Parabéns pela arte, arrancou elogios eloquentes!
Aceite um café, beijos.

Lúcia Lima disse...

João,

Quanto mais leio seus textos, sejam em verso,sejam em prosa, mais me conscientizo de que você é muito único no seu jeito de escrever.

Sobretudo, no trato para com a linguagem , que parece comportar-se diferente com você.

Parece submeter-se aos seus caprichos, aos seus desejos e, principalmente,às suas emoções.

Encanta-me a maestria com que você escolhe cada palavra, parece-me
ser uma seleção precisa - como se houvesse precisão na literatura- mas é assim que percebo a linguagem no seu trabalho.

A habilidade com que transita pelas figuras de linguagem é fantástica! Surpreende-me a leveza com que você emprega as antíteses, bem como a riqueza com que as sinestesias se subetem ao seu discurso ,como que a se reiventarem.

Paradoxalmente à sua unicidade, você é plural no que tange ao conteúdo de sua obra. Nela, trata de questões que vão do circunstacial ,sem ser lugar comum, ao prosaico; do "aparentemente" simples ao complexo ,quando fala das dores humanas, das alegrias, da bondade,
mas também da perversidade que permeia a alma humana.

O que as torna universais.

A impressão que tenho é a de que você fotografa ,aliás, faz uma radiografia da alma,visto que os seus escritos traduzem o que foi prescrutado nela, capitado do âmago dela.

Ás vezes, fico a me perguntar se há um pouco ou muito de você no que escreve.

Ou se é o resultado da radiografia a que já me referi.

Ou um misto das duas coisas?

Também não sei se quero resposta, afinal, a literatura,como toda arte, não foi feita para ser entendida,mas ,sentida,apreciada.

Mas o fato é que você constrói e reconstrói o mozaico da vida e o faz de um jeito muito particular que o singulariza.

E o mais interessante de tudo o que faz é que deixa transparecer que recolhe material para isso no cotidiano, fazendo uma releitura do habitual.

Creio que resida aí a beleza do seu trabalho: buscar na simplicidade do cotidiano a força , a inspiração, o farto conteúdo dos seus textos.

Sim, porque enxergar o diferente é fácil e não constitui nehum mérito.

A beleza está em enxergar no velho, no já conhecido, um novo que se revela quer por um ângulo diferente, quer por um reolhar que o reinventa.

E reinventar o já visto tantas vezes é o cerne da questão e você faz isso de um modo muito singular sem ser simplório.

Há nada tão corriqueiro, tão chato e tão paradoxalmente necessário e bonito quanto o cotidiano?

E você o desconstrói e o reconstrói ao nos apresentá-lo sob um outro olhar,sob uma nova perspectiva, transformando em beleza algo que parecia, a olhos comuns , singelo.

Meu caro poeta, conforme eu disse e reitero , você é único sendo plural , por que não se arvora mais e também na prosa?

Não estará na hora de nos deleitar com a poesia em prosa? Afinal, já o faz quando se dispõe a escrever um artigo,que é pura poesia.

Vou ficar aguardando.

Se isso não lhe soar bem, sugiro-lhe que reúna os poemas em um livro, por que não?

Como já ousei demais no meu modesto comentário, arvorando-me inclusive a sugerir novas formas de reivenção , fico por aqui.

Um abraço carinhoso,

Lúcia Lima

Lúcia Lima disse...

Querido amigo João,

De novo.

Bom dia!

Quero agradedecer penhoradamente o convite a mim enviado.

Para mim, constitui uma demosntração de apreço e consideração, sobretudo considerando a distância
que nos separa e,consequetemente, impossibilita de me fazer presente.

Portanto,trata-se de um convite simbólico, o que não lhe diminui a importância.

Muito obrigada mesmo e de coração.

Renovo aqui o carinho que lhe devoto.

Sucesso a você e aos bonitos monstrinhos que,certamente, serão bastante apreciados e adquiridos; afinal quem não se encanta com e por eles?!!

Um abraço carinhosíssimo e cheio de energia,afinal você precisará dela para o trabalho que o aguarda de 4 a 24 de março.

Lúcia Lima

Martinho da Silva disse...

Posts atrás referi que a melhor poesia que se edita na blogosfera reside na pessoa do autor deste blog. A confirmá-lo o comentário de Lúcia Lima, um primor de observação, crítica e descernimento (parabéns!)
Tudo o que aqui se edita,respira,vive.
Parabéns,João.
Quanto à exposição, não faltarei.Abraço

Justine disse...

Desta vez é que vou lá dar um pulinho...devagar, para apreciar!

Paula disse...

Olá boa noite,
Lá estarei dia 4.
Beijo,
Paula

Êidina Queiroz disse...

Querido amigo, desejo-te muitas felicidades, que tudo dê certo nesta tua empreitada. Manda-me o teu e-mail, pois preciso enviar-te um endereço e manda noticias tua. Beijinho.

Caçadora de Emoções disse...

João,
Desejo-lhe as maiores alegrias, energia positiva para esta exposição. Vai ser um sucesso, estou confiante. Não deixarei de passar por lá quando tiver oportunidade.

Abraço carinhoso e um sorriso :)Parabéns!

mdsol disse...

Oh ! PArabéns! Estivesse eu mais pertinho...
Espero que corra tudo muito bem!
:)))

Cris_do_Brasil disse...

Ahhh já sei quem teve a reacao ´interessante` da minha postagem: vc! :))

Puxa, que legal, vc é um pintor. Admiro muito essa arte, adoro exposicoes. Pena Viena é longe de Portugal, senao em marco estaria lá :))

Boa sorte, bons frutos na vernissage!

mundo azul disse...

_________________________________


João, desejo que a sua exposição seja um SUCESSO, como você merece, pelo talento e dedicação com que evolui o seu trabalho!


Beijo!

____________________________________

impulsos disse...

Parabéns artista!
É com alegria e com orgulho que vejo a dimensão e a importância da sua arte, exibida aos olhos do mundo.

Seria uma honra poder apreciar de perto um só monstrinho que fosse...

(medusalinda@gmail.com)

Beijo

maia claudete disse...

O talento em todas as suas manifestações reunidas em uma só pessoa. Parabéns João , sucesso na sua Exposição, você merece!

Graça Pires disse...

Muitos parabéns e muito sucesso.
Um abraço.

Maria Anjos Varanda disse...

Espero que a exposição tenha sido um sucesso...

é sempre tão agradável passar por aqui...pena que ultimamente o tempo tenha sido escasso...

Uma boa semana

Helen De Rose disse...

Olá João! Não sabia que vc tbm faz "montr'inhos"...rs...Mas tenha certeza, que se não fosse pela distância, estaria seguindo seus monstr'inhos tbm...rs...Desejo que vc tenha muitas alegrias nesses momentos de realizações das suas criações!! Bjos daqui.

Carla disse...

felicidades para o teu trabalho
beijos

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Todo sucesso!

Paula disse...

Bom dia,
Tomei a liberdade de deixar no meu blog a minha visita de ontem...
Beijo,
Paula
Ps: É possível enviar-me a foto por e-mail?
Obrigada:)

fgiucich disse...

Buena suerte y muchas felicidades!!! Abrazos.

Maria Constante disse...

Fantástico,João,fantástico!
Tanta gente...Que bom ver como os amigos e o público te mimou.
Excelente, gostei bastante!
Os monstrinhos a negro foram os que preferi.Resultaram muito bem.Adorei.Parabéns,muitas felicidades!

Tretoso Mor disse...

Caro João Videira Santos,

Estive ontem presente na exposição.

Gostei imenso e para mim foi deveras reveladora a sua preocupação com as pessoas e a sua interacção.

Deixo aqui o convite para visitar o meu blog, se o desejar.

http://tretas-da-vida.blogs.sapo.pt/

Um abraço

Tretoso Mor disse...

João Videira Santos,

As minhas desculpas, não me dei a conhecer quando o comentei aqui, por lapso.

Era eu que estava com a Paula, a Quase Senhora.

Um abraço e mais uma vez parabéns pelas obras que produz.

umdiasereieumesma disse...

Meus mais sinceros PARABÉNS! Acredito que seja bom demais ver um sonho realizado e permitir a todos conhecer o que primeiro foi seu. Sorte, saúde, paz, alegria e muita, mas muita sensibilidade para continuar escrevendo e pintando e... Um grande abraço desde Brasil.

Rui disse...

Amigo João, os meus parabéns.
Pouca gente conhece o lado simples e desinteressado, com que este Amigo abraçou um projecto em 1970.
Num clube de bairro em Lisboa, muito simples e ao mesmo tempo com pessoas de bom coração, rudes nas atitudes, porque nem sempre entendiam o que se estava a passar á sua volta.
Foi com a sua ajuda, que aos poucos foram entrando no comboio, das exposições de pintura, das peças de teatro e dos espectáculos, que de maneira graciosa o João V. Santos e outros artistas nos ajudaram a formar o nosso intelecto e a gostar de coisas boas.
Obrigado e boa sorte
Rui Jorge