sexta-feira, 16 de julho de 2010

na tarde de todas as tardes



na tarde de todas as tardes
a sombra que cessa a presença,
o vazio imenso da ausência…

no grito desfolhado da saudade,
o eco surdo da palavra,
o suspenso gravitar do adeus…

…e nesse imenso profundo
sem imagens de adivinhação,
o canto dos vazios,
a procura fria da razão…

======

21 comentários:

Martinho da Silva disse...

Parabéns,poeta,feliz aniversário! Muita saúde e felicidade.Que continuí a presentear-nos com o seu talento.Grande abraço.

Dora Regina disse...

Sempre muito bonito o que partilhas conosco.
Gostei muito!
Um abraço!
Bom fim de semana!

mundo azul disse...

___________________________________


O grande poeta!
Canta a emoção como ninguém...


Toda a luz, para você!


___________________________________

Sonhadora disse...

Lindo poema, um canto triste mas poesia.

…e nesse imenso profundo
sem imagens de adivinhação,
o canto dos vazios,
a procura fria da razão…


Beijinhos
Sonhadora

Luaaz disse...

Gostei muito das suas poesias,
e me identifiquei muuuito com essa primeira,
Senti muitas vezes "o vazio imenso da ausência",
Passei muito tempo com meu "grito desfolhado da saudade"
ÓTIMAS POESIAS AS SUAS.

Rosélia Bittencourt disse...

Poesia linda a sua.Do mais bonito e evoluído que tenho lido.Meus parabéns.Abraço

Tere disse...

olá amigo.muito obrigado por ler minha simples poesia,foi um prazer recebe-lo.volte mais vezes.abraço tere.

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Um abraço

Livinha disse...

O vazio imenso da ausência e um viver sem questão...

Obrigado pela visita em meu recanto...
Gsotei daqui, palcos que eu já contracenei um dia, optando por viagem Al di lá, além , muito além daqui...

bjs

Livinha

Amiga disse...

Forte, emocionante e cativante poesia.
Parabéns!!! Gostei demais!
Axé

http://diario-porto-solidao.blogspot.com/

Fátima disse...

João,

Puro sentimento em tuas palavras, demora para a fria razão aquecer os sentimentos.

Estou aqui seguindo, lendo e apreciando.
Grata pela visita

Beijo meu
Fátima
Ah! teu semblante é afável.

Anabela Figueiredo disse...

A razão sempre a razão
mas é sempre e só com o coração
lindo o seu poema
Um abraço

Alda disse...

Lindo grito desfolhado da saudade...
Bjs

Tere disse...

FELIZ DIA DO AMIGO!BJUS TERE.

Baby disse...

"o vazio imenso da ausência...)
onde cabemos por inteiro e onde caberia o mundo inteiro!

Belo poema, como sempre.

Beijo.

Graça Pires disse...

Um poema triste, emocionante e emocionado.
Um beijo.

Valéria Sorohan disse...

Lindo, sutil, delicado... seu blog é um lugar pra elevar a alma. Beijinho carinhoso

Lau Milesi disse...

Olá poeta João Videira, seu poema é lindíssimo como a "tarde de todas as tardes". Vi que um leitor lhe parabenizou. Reitero os votos de um feliz aniversário, mesmo atrasado.
Amanhã será o meu.[rs]
Um abraço amigo e meus parabéns!!

* Muito obrigada por sua visita e por seu generoso comentário. Foi um prazer recebê-lo.

Rosa dos Ventos disse...

"Na tarde de todas as tardes..."

Lindo!
Parabéns e

Abraço

AC disse...

Encontrar a razão na emoção é uma tarefa dos diabos...

Abraço

Cria disse...

Irretocável, amigo poeta !Meu carinho e obrigada pela presença. Linda semana pra ti.