segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

canção morta


três tiros de raiva
acordam a canção
ferindo a melodia,
a nota do verso.

três balas de sangue
em bi menor
estremecem o compasso
em ré maior,

três gritos de ódio
na clave de sol,
um suspiro moribundo,
mata a canção. .

três tiros de raiva,
três balas de sangue,
três gritos de ódio,
uma canção de protesto.

======

6 comentários:

Chica disse...

Forte e bem escrita poesia! abraço,chica

Martinho da Silva disse...

A força da poesia de quem sabe.Abraço.

Graça Pires disse...

O protesto necessário..
Gostei imenso.
Beijos.

O Fantasma da Ópera disse...

Gostei John.:)

mundo azul disse...

_______________________________

...canção morta... Penso que as canções entoadas, não morrem jamais...Por mais que se cale o canto, o eco da melodia ficará para sempre.

A qualidade de sempre nos seus versos, João!


_______________________________

Marina-Emer disse...

gracias amigo por tu visita ...suspiro por estar enamorada un beixo
Marina