segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

no corpo que em tua boca respiro...


...no corpo que em tua boca respiro,
o silêncio do crepúsculo,
o sorriso descerrado
o dia amanhecido...

(...e a solidão se faz branca
no insubmisso,
no corpo exilado...)


======

foto de autor desconhecido

======

8 comentários:

aosolhosdaalma.blogspot.com disse...

BOM DIA POETA QUE,PRAZER LER VOCE LOGO PELA MANHÃ LINDO POEMA,,,
TENHA UMA LINDA SEMANA,
UM ABRAÇO COM CARINHO MARLENE

Rosette disse...

Mesmo sem odor cada palavra tem o perfume,a profundidade,a imagem do sentimento.Parabéns,João!Você é o máximo!

Liene disse...

João,

Na brancura da entrega todos os matizes são possíveis mesmo que em noites de vazios.

Tenhas uma semana de luz!

Um abraço na alma

Kafé Universitário disse...

Adorei seu poema joão!
estou seguindo seu blog!
abço
Patrícia

La Lola disse...

Precioso Joao, me gusta mucho tu sencillez escribiendo.
Un abrazo

Paula Raposo disse...

Existem dias que não amanhecem...

Graça Pires disse...

Muito belo e sensual, o poema!
Beijos.

Cria disse...

Maravilhosa expressão, amigo Poeta !