quarta-feira, 20 de abril de 2011

abril, maio...


Não são fáceis os tempos que correm.

O desemprego, a falta de trabalho, o desiquilibrio e a ruptura do sistema economico são mais do que razões para nos preocuparmos não só com o nosso futuro, mas, também, com o dos jovens.

Trinta e sete anos depois, comemorar o 25 de Abril e os valores que determinaram a revolução, continua a ser necessário para que a chama da esperança se mantenha acesa com querer e determinação.

Trinta e sete anos depois, da devolução da liberdade e da democracia ao povo, pesem as vicissitudes dum caminho de tantos escolhos, onde os recuos são constantes, temos de continuar a acreditar que a livre expressão do homem e a sua luta por uma sociedade mais fraterna e mais solidária, continuam a ser fim do seu objectivo.

Objectivo a concretizar por todos aqueles que dão o melhor de si em prol da sociedade e, consequentemente, pelo futuro do país que somos e a que temos orgulho de pertencer.

Trinta e sete anos depois, o 25 de Abril e os valores que ele encerra, continuam a ser um caminho a cumprir.

A liberdade conquistada foi meta que o povo ansiou e pela qual lutou duramente.

Uma luta de décadas que levou à prisão, ao desterro e à morte muitos patriotas.

Muitos deles ainda hoje nos esconsos do anonimato e teimosamente ignorados.

Se o 25 de Abril, teve como objectivo prioritário restaurar a liberdade e a democracia, outros fins estão, ainda, por alcançar.

É preciso que o Estado continuí a previligiar a educação, a saúde, o emprego, a cultura e o apoio aos desfavorecidos.

Perante o elevado numero de desempregados é urgente, uma politica de emprego que consolide a estabilidade de todos aqueles que procuram garantir a sua subsistência, o seu bem estar, a sua esperança no futuro.

Por outro lado, é preciso garantir que os nossos reformados e os nossos idosos tenham a segurança que lhes falta em termos de apoio à velhice, à doença e à melhoria das suas reformas.

Que o fim da sua vida tenha a dignidade e o respeito que merecem depois duma vida de trabalho e de privações.

Que sejam encontradas soluções para emprego dos nossos jovens a fim de que os melhores anos da sua vida não sejam passados na busca incessante de trabalho, na precaridade do trabalho quando o têm e na angustia permanente do que será o seu futuro.

Este ano, o 25 Abril ocorre com o nosso país em extremissimas dificuldades económicas e a solicitar a ajuda internacional.

Não é a primeira vez que isso acontece e sabemos bem o quanto essa ajuda vai determinar em termos de austeridade, do crescente numero de dificuldades a que vamos ficar sujeitos. Seguramente o desemprego aumentará, a idade da reforma será alterada, beneficios serão retirados aos trabalhadores, enfim um sem numero de alterações que irão prejudicar aqueles que no e pelo trabalho criam riqueza.

Uma situação que nos obriga a cerrar fileiras e a lutar para que o país saia da situação e da estagnação em que se encontra, por forma a que o amanhã dê mais certezas e menos incertezas aos portugueses e ao futuro de Portugal.

Somos um país de séculos, um pais onde a história nos conta tantos feitos e tantos sacrificios. Todos somos dignos desse passado e há que lutar por ele!

Temos que unir esforços e garantir que o nosso país é conforto para todos nós.

Com o 25 de Abril, surge o 1º de Maio.

Se uma data consagra a liberdade e a democracia, a outra consagra o Dia Mundial do Trabalhador.

Este ano, perante a situação económica do país, o desemprego e a precaridade de quem tem trabalho, é certo que as vozes se erguerão no clamor do protesto por melhores condições de vida, pelo emprego e contra as injustiças que grassam no mundo do trabalho e, em geral, na nossa sociedade.

É preciso que a comemoração destas datas seja feita na esperança e na determinação por melhores dias, pelo trabalho e emprego, por justiça no apoio social aos desempregados, aos reformados e pensionistas e aos mais necessitados.

Por Portugal e pela sua independência económica.

Viva! o 25 de Abril!
Viva! a Liberdade!
Viva! o 1º de Maio!
Vivam! os Trabalhadores!
Viva! Portugal!


======

6 comentários:

Martinho da Silva disse...

Estou consigo e nos propósitos do seu post.Abraço

Graça Pires disse...

Subscrevo, amigo.
Um beijo e Boa Páscoa.

Maria disse...

Excelente post, que subscrevo.

Um beijo.

La Lola disse...

Un post completamente distinto, pero no esperaba menos de ti. Se ve que eres un hombre comprometido.
Viva el 25 de Abril¡¡¡
Un gran abrazo

Diego Schaun disse...

Gostei muito de teus escritos. Forte abraço. Boa tarde!

Diego Schaun
http://palcomp3.com/diegoschaun
http://diegoschaun.blogspot.com
Twitter: @diegoschaun

claudete disse...

A luta por estes ideiais parece ser uma temática própria dos governantes que não conseguem corresponder plenamente aos anseios dos cidadãos .Que um dia estes objetivos sejam atingidos. Abraços.