segunda-feira, 19 de maio de 2008

mona kilumba

Capa da edição



Eu sei que pode parecer vaidade, mas...(há sempre um "mas" na minha vida...) não resisto a escrever e editar algo que me dá muita satisfação.

Vou "falar" sobre uma canção que compus há anos atrás. A sua história é esta...

Convivia eu com os meus amigos angolanos Henrique Rosa Lopes e Rui Legot, elementos do Duo N'gola quando me predispus a criar algo que pudesse ser interpretado por eles.

Habituado desde muito jovem a conviver com naturais das ex-colónias, com eles conheci alguns dos ritmos nativos de África. Um dia, inesperadamente surgiu na minha mente um ritmo bem sincopado e que tudo tinha a ver com o balanço da musica africana.

Para ele escrevi uma letra extremamente simples, salpicada com algumas palavras do dialecto quimbundo. "Alinhavada" a composição, baptizei-a de Mona Kilumba (menina,menina) e corri ao encontro dos meus amigos do Duo N'gola que fazim "poiso" na Pastelaria Tarantela, na Estefânia, em Lisboa.

Aí, à mesa da pastelaria, trauteei a canção, sendo enorme a surpresa dos meus amigos, dizendo tratar-se duma genuína melodia africana.

Dias decorridos, depois de alguns ensaios a canção era gravada em disco e apresentada na TV.

O agrado foi geral e o disco esteve largas semanas na parada de vendas em Angola. Fez o seu caminho e tempos depois voltaria a ser gravada por Aurélio Perry, à altura, famoso interprete do Porto.

Decorridos tantos anos, sou, agora, agradávelmente surpreendido por Mona Kilumba ser reeditada, fazendo parte duma bem apresentada colectanea, em livro, como “As 100 grandes musicas dos anos 60 e 70” de Angola.

A esta distinção acresce a particularidade de ser o único autor incluído nessa colectanea que não nasceu, nem nunca esteve naquele país.



Anos volvidos e depois duma carreira triunfante, o Duo N'gola terminou a sua actividade artistica, não sem que antes voltasse a gravar um poema de minha autoria (Euridice) com musica de Henrique Rosa Lopes.

Henrique Rosa Lopes, inpirado autor-compositor de temas como "Angola" e "Angolê, Angolá", retirou-se da vida artistica, vivendo, hoje a tranquilidade duma vida agitada, Ruy Legot, prossegue a sua carreira como musico, agora, em Paris.

...E fica contada a história de Mona Kilumba, uma composição negra escrita por um Lisboeta.


Entretanto, no merengue da palavra, duas opiniões sobre AS 100 GRANDES MÚSICAS DOS ANOS 60 E 70 de Angola...

"Este é um tesouro sonoro que, felizmente, foi salvo do esquecimento. Um património angolano que solidifica o passado conjunto de dois países. Imperdível para qualquer nascido / criado naquelas terras. Obrigatório para quem pretende conhecer a música de um país que continua a marcar o ritmo dos nossos corações."
- Paulo Salvador

"Esta é a banda sonora dos últimos anos da época colonial em Angola. Brilhante anúncio de um futuro musical que ainda não chegou - mas está próximo. Angola vai ser, muito em breve, uma das grandes potências musicais do continente africano. Não será possível compreender esse futuro sem conhecer este passado. Não há dúvida alguma, olhando para trás, que o melhor daqueles anos foi a música."
- José Eduardo Agualusa

.................................

Transcrição de excerto da muita informação que "circula" na internet sobre esta edição:

"Este é um tesouro sonoro que, felizmente, foi salvo do esquecimento.
Um património angolano que solidifica o passado conjunto de dois países.
Imperdível para qualquer nascido/criado naquelas terras.
Esta é a banda sonora dos últimos anos da época colonial em Angola.

.................................

Lembrança...
Ao recordar "Mona Kilumba" quero deixar uma palavra publica de saudade ao Tony Tavares, meu amigo-irmão, negro de Angola, companheiro de tantas farras que me acompanhou desde os dez anos de idade até ao final da sua vida.
Hoje e sempre, os amigos não o esquecerão!

.................................

Aqui pode ouvir o Duo N'gola em Mona Kilumba...








Contra capa.



..................................

Elementos anexos à edição internacional

VARIOUS
ANGOLA (4CD BOOK)
cat. N° SL956-2
5604931095620


With 4 CDs and a 40 page booklet (in Portugese only) and filled with photos of the time, "Angola - As 100 grandes músicas dos anos 60 e 70” (Angola – the greatest 100 songs of the 60’s and 70’s) is a journey through the most creative years of Angola.

All these recordings were made at Valentim de Carvalho Studios in Luanda, from 1968 up until 1975 (the year of Independence, when all the tapes were taken to Lisbon and kept in a warehouse until now). Except for 8 tracks released in the Africa Crioula compilation, all of the 100 tracks are being released in CD for the first time. These are original recordings, previously unreleased in CD and available for the first time now in this digitally mastered collection.

This music was something unique for it's time, and later it was spread throughout the world and gave form to many other genres. All of these artists were originally from Angola, and due to the difficult period of the independency war in the country at the time, some of them emigrated throughout the five continents, taking their own culture and music in the luggage, others (such as Sofia Rosa) were killed later for political reasons during the civil war, and some others became major local artists as Elias diá Kimuezo, today after a 55 year-long career. Artists such as Carlos Lamartine, Africa Show, Teta Lando, Chico Montenegro, Mário Silva, Santocas, Santos Júnior, Águias Reais, Quim dos Santos, Artur Adriano, N'Goma Jazz, among others, see their recordings for the first time in CD.

Semba is the king of the popular music of Angola of this time, but you can also find Kazukuta, Kilapanga, Rebita, Dikanza and Merengue among these 100 songs. CD #4 is mainly ballads. Apart from some songs sung in Portuguese and Umbundo, most of them are sung in Kimbundo (the Luanda and north of Angola language). Angola – As 100 grandes músicas dos anos 60 e 70” is a multilingual musical expression of Angola. Today, the locals still speak more than 20 different dialects, although Portuguese is the official language.

Angola – as 100 grandes músicas dos anos 60 e 70 discovers some of the hidden treasures of Angola from one of the finest creative periods of the country.

”The airy fretwork and reggae-styled basslines by Sofia Rosa (...) are tied to each other by the same longing themes of freedom and hope. Fans of Johnny Clegg and the non-Ladysmith Black Mambazo tracks on Paul Simon's Graceland will be fascinated to hear the roots of those sounds which sound very much alive decades later.”
By Zac Johnson, All Music Guide

Tracklisting:

CD 1

01. Elias diá Kimuezo - Zé Salambinga
02. Chico Montenegro - N'golo Banza
03. Mário Silva - Bossa do violão
04. Santocas - Minha Sobrinha
05. Artur Adriano - Kalunga
06. Chico Joaquim - N'Gola Yétu
07. Sofia Rosa - N'Gue Xile Mutunda
08. Lancerdo - Esperança
09. Barros de Landana - Tambi Rosa
10. Santos Júnior - Mukulo
11. N'Goma Jazz - Belita-Kiri-kiri
12. Cabinda Ritmos - Chika
13. Duo N'Gola - Mariana
14. Quim dos santos - Kissuela Kia Diala
15. Paulo Neto - Tua Ndaleto Kutu Tumina
16. João Pequeno - Muloji
17. Alliace Makiadi - Ester Madona
18. Manuel Faria - N'Golo Banza Mamã
19. Cisco - N'gongo - Semba
20. Kibonga dos Santos - Encontro com Muloji
21. Os Korimbas - Jessa
22. António dos Santos - Quando Eu Morrer
23. Zé do Pau - Caminhos da Liberdade
24. Africa Show - Okuniuissa Olongenbia
25. Elias diá Kimuezo - Samba

CD 2

01. Águias Reais - Bazooka
02. Duo N'Gola - Mona Kilumba
03. Elias diá Kimuezo - Zum Zum
04. Quim dos santos - N'Genji
05. Ases Do Prenda - Merengue Bombeiro
06. Africa Show - Ritmo da Ilha
07. Brás Firmino - Onguevaia
08. Mamukueno - Rei do Palhetinho
09. Chico Montenegro - N'gana Maria
10. Super Coba - Kossa-Kossa
11. Ana N´Gola - Kidingo
12. Artur Adriano - Carnaval
13. Dimba D' Angola - Merengue Titia
14. Santos Júnior - Comboio Apitou
15. Os Giendas - Merengue
16. Fé-Fé - Chico - Semba
17. Kissas - Zé João
18. Luís Maria - Merengue Banga Sumo
19. Muhona - N'ga Kolu M'butu
20. José Massano Júnior - Kitmo S. Salvador
21. Cabinda Ritmos - Rosa
22. Nito Nunes - O Relógio Marca a Hora
23. Santocas - Bento
24. Sofia Rosa - N'gala ni kilofo Muxima
25. Marimbeiros De Duque de Bragança - Caiuana

CD 3

01. Mário Rui Silva e Ana Paula - Picada do velho
02. Duo N'Gola - Mulher de Homem
03. Muhona - Falsos Amigos
04. N'Goma Jazz - M'Bamda Yumbana
05. José António Cândido - Kia Banga Rosa
06. Brás Firmino - Unita
07. António dos Santos - Tata Uá N'gi Lengue
08. Santos Júnior - Madalena
09. Luanda Show - Paxi kua N'gola
10. Super Coba - Txi Mbele-Mbele
11. Elias diá Kimuezo - Combóio
12. Africa Show - La Minuta
13. Chico Joaquim - Luzia
14. Augusto Adriano - Mu Iobe
15. Zé Viola - Chita Iá Puiti Puiti
16. Artur Adriano - Mãe Uebi
17. Kito - Bongololo
18. Quibanzas - cada Ngueté Vida Dé
19. António Sobrinho - A N'gi Zula
20. Cisco - Divua Diami
21. Dimba de Angola - Titina
22. Sofia Rosa - Kumulundu
23. Campos Neto - Diá Benga
24. Estrela dos Dembos - Martita
25. Gr. K. Sto. António - Zaire Zabula

CD 4 - Baladas

01. Elias diá Kimuezo - Ressureição
02. Chico Montenegro - Ji Henda ia Luanda
03. Sofia Rosa - Kalumba
04. Santos Júnior - Maria Rita
05. Cisco - Totonha
06. Elias diá Kimuezo - Mualunga
07. Musangola - Laurento
08. Artur Adriano - Belita
09. Quim dos Santos - O Povo é que Sofre
10. Manuel L. Cardoso - São Lágrimas
11. Chico Montenegro - Monami
12. Augusto Dikongo - Encontro com Mana Fatita
13. Lancerdo - Kan'gato ka Dilaji
14. Mário Silva - Maza
15. Águias Reais - Jesus Diala Ua Kidi
16. Carlos Lamartine - N'Gana (Rosa José)
17. Zitocas - Angélica
18. Campos Neto - Diembe
19. Os Giendas - Penso em você mamã
20. Veríssimo Da Costa - N'Gongo iá Diala
21. Ilda Rosa - Makixe
22. Zé Viola - Ambuale
23. Africa Show - Noite de harmonia
24. Teta Lando - Muato Wa N'Ginjila
25. Mário Rui Silva e Ana Paula - Zeca Camarão

36 comentários:

Sol da meia noite disse...

Obrigada por ter partilhado esta história... gostei de a conhecer.
Penso que por trás do que nos é dado saber, está sempre uma história. A história que lhe deu vida.

Deixo um abraço

mundo azul disse...

Bem, ficou a vontade de ouvir a música! Gostei de conhecer mais uma história da sua arte... Beijos!

Maria Filomena Horta disse...

Aqui se lêem histórias, poemas e prosas; aqui se retratam passagens duma vida. Pelo que vejo bem preenchida. Gostei do blog. Só faltou ouvir a homenageada Mona Kilumba. Com amizade deixo um abraço e a promessade que voltarei.

Lúcia disse...

Era giro ter um cheirinho da música. Não dá?

Carla disse...

também gostava de ouvir... e Angola é a minha terra
beijos

Gata Verde disse...

É sempre bom ler histórias de vida. Porque não colcas essas musicas aqui no teu blog?

Beijinhos

Carecaloira disse...

Também gostava de ouvir a música.

Obrigada pela mensagem que deixou no meu blog.

Eu prometo aqui voltar.

Beijinhos

Maria P. disse...

E que belíssima história! Parabéns, agora falta ouvir:)

Beijinho*

~pi disse...

bela fala! :)

bem vindo a passages!





~

elvira carvalho disse...

Nunca diria que Mona Kilumba teria sido escrito por alguém que nunca pisou terra africana. Porque a canção transpira África em todo o seu ritmo.
Adorei saber que é sua.
Um abraço e bom feriado.

Angela Ladeiro disse...

Vou já á procura da música. A história é maravilhosa. São elas que nos tocam para a frente!...Todos temos alguma história que poderiamos contar, mas é preciso saber fazê-lo, como o meu amigo!...

DelfimPeixoto disse...

Fico contente por já ter sentido que algo existia ( musicalidade ) naquilo que escreve... foi uma boa surpres
Obrigado

Bandys disse...

obrigado pela visita.

Gostei de saber se sua historia,
Um abraço

Anita disse...

Olá boa noite, venho agradecer a sua visita lá no meu cantinho.
Volte sempre pois será muito bem vindo.
Um abençoado fim de semana.
Um abraço.
Fique bem. Fique com Deus.
Anita (amor fraternal)

Sintonias do coração disse...

*****

Encantada duplamente, com sua passagem gentil em meu blog e, ao descobrir mais um espaço lindo, que tem tudo que gosto!
Já está favoritado para cá adentrar sempre!
E, agora com licença, tenho muito a ler por aqui... risos
Uma ótima noite e uma quinta bem feliz!
Abraços desde Minas Gerais, Brasil
Helô

Sintonias do Coração

*****

Carminda disse...

Boa noite,
lembro-me do nome do duo N'gola, da música a que se refere, não estou recordada, mas vou levar o link para a ouvir no esnips.

Na Tarantela também eu passeis alguns lanches com as amigas da escola.:)))

Abraço

Miguel Barroso disse...

Que bela história, fico curioso pela música. Não é vaidade, mas sim História. Preserve esse registo!
Abraços do EU, SER IMPERFEITO e d´A SEIVA

Rui Caetano disse...

Um história muit interessante.

Coragem disse...

João, adoro musica africana, é verdade e como tal já dancei aqui ao som da sua tão bonita letra Mona Kilumba.

Beijo

xistosa disse...

Por vezes um simples gesto gera uma surpresa.
Ouvi a música, com qualidade, (já em Mp3).

Lembrei-me que aprendi alguma coisa de quimbundo.
E foi o que aprendi, asneiras em primeiro lugar, que consegui perceber o cabinda. A sonoridade era a mesma.
Só um exemplo, que não sei como realmente se escreve, mas era assim que se pronunciava.

"bola dianguáco" em cabinda era "benga dianguane".

Um resto de bom feriado.

Menina disse...

Obrigada pela passagem pelo meu cantinho =)

Bjs

Lisa's mau feitio disse...

João!

É com agrado que lhe retribuo a visita ao meu blog e me deparo com um blog tão interessante onde me vejo a aprender uma imensidão de coisas!

Temos, pois, um belíssimo compositor, certo?:)

Muitos beijinhos fortes!
Até à próxima!

Lisa

Papoila disse...

Venho retribuir a visita ao campo e fico encantada com a história que aqui leio. Espantoso como um lisboeta que nunca pisou África assim a sinta!
Vou ouvir agora Mona Kilumba para recordar.
Coloque no blog!
Beijo

Ema Pires disse...

Olá amigo,
Obrigada por visitar-me. Vim aqui e gostei do seu blog e da música. Eu ponho quase sempre música africana no meu blog, neste momento sao percussoes.
Volte sempre.
Um abraço

mariam disse...

que fantástico!
"...E fica contada a história de Mona Kilumba, uma composição negra escrita por um Lisboeta."... parabéns!!!
e fiquei curiosa quanto à sonoridade...

um sorriso :)

Renata disse...

Nossa... vi q vc deixou um comntário no meu blog.
Bom te conhecer. Amei o post. Vc é compositor, que legal!

São disse...

Parabéns, caríssimo!
Gosto muito de música de África.
Felicidades.

Maryeelle disse...

olá, novo amigo!
obrigada pelo seu comentário no meu blog.
um afetuoso abraço brasileiro.
Aparecida Torneros

Pernille's ting og tang disse...

Thank you for your nice comment at my blog!
I don't understand your text in your blog, but I'm sure that this is a wonderful music:)

Have a nice weekend:)

Deusa Odoya disse...

oi meu novo amiguinho.
adorei seu blog e suas histórias sobre a Africa.
lindas músicas também.
estás de parabéns.
bom fim de semana, e fique na paz.

te aguardo em meu blog também.
Regina Coeli.

Suzana Brun disse...

Fico lisonjeada com sua visita ao meu blog e seu comentário me deixou muito feliz, espero poder interagir muito com você...seu blog é interessante e também amo poesia. Imagens é minha voz e poesia é meu silêncio.

Abraços

Suzana Brun

Maria Clarinda disse...

E eu tenho este disco DVD desde o ano passado , altura em que o Pauloa Salvador lan�ou o seu livro Recodar Angola 2...
Adoro todo o disco, e a tua m�sica .Ainda a pouco a pus a tocar.
O mundo � pequeno. Jinhos grandes

António Rego disse...

É um prazer conhecer o seu trabalho,o seu talento e a diversidade da forma como se exprime. Curioso o facto de encontrar aqui quem já conhecia de nome. Um grande abraço. Continuí com o seu talento e arte.

Lusófona disse...

Olá João!!

Obrigada pela visita!!

Gosto imenso de ler memórias... Vou ouvir a Mona Kilumba ;)

Uma feliz semana!

J. Araujo disse...

Parabéns pelo blog e as belas histórias contadas. Como vc mesmo disse; é gratificante ser reconhecido pelo que fazemos e isso sempre realmente nos dá força para tentarmos fazer cada vez melhor. Continue essa pessoa polivalente.

Abraço,

Blog da Mulher Necessária disse...

adoro o seu blog
abraços brasileiros
maria aparecida torneros