terça-feira, 30 de setembro de 2008

tuas mãos




tuas mãos, como espada

são cortantes punhais;

são luas de madrugada

trespassando meus ais.



*foto de autor desconhecido retirada da net

57 comentários:

Frederico Antunes disse...

Um poeminha de fino recorte. Um poema com a força a que nos habituou João Videira Santos. Felicito-o pelo seu blog. Aqui conhecemos o homem e o artista.
Um grande abraço

Maria Cristina Nunes Adão disse...

um poeta de verdade não precisa de muitas palavras prá criar uma beleza como esse poema! lindo demais... João amigo poeta, seu blog está ótimo! beijos da amiga carioca Cristina Nunes

Marcia Barbieri disse...

Adorei,curto e forte.

Beijos

Angela Ladeiro disse...

Como não sei jogar com as palavras á altura do João...Terei de ser banal para dizer que achei lindo!

Carecaloira disse...

O autor pode ser desconhecido mas é forte aquilo que escreveu.

Um beijinho
Marina

xistosa - (josé torres) disse...

Curto, poético e incisivo.
Somos mesmo trespassados.

♀ Venus disse...

Uns dizem que as mãos são o espelho da alma, outros não concordam...
Para mim, as mãos são a fotografia da alma... Porque mostram sem revelar, permitem-nos divagar sobre a sua essência.

Palavras curtas, palavras bonitas.

Beijokas e um bom dia meu caro

Paula disse...

Bom dia,
Já sentia falta de umas palavras... As mãos que tanto dizem e tanto "fazem"....que tanto mostram...
Mais uma vez gostei, que dizer?!?
Beijos,
Paula

Anónimo disse...

Lindo! Leio e releio imaginando tudo o que quiz dizer. Em tão poucas palavas (14) um sentimento profundíssimo. Meus parabéns!

Mar disse...

Muchas gracias por visitar mi blog, es todo un honor. No hablo portugués aunque no me resulta didícil entenderlo y todo lo que he leído por el blog me ha parecido hermosísimo.

Un abrazo.

La Lola disse...

Me ha gustado mucho la poesía, (aunque algunas palabras no las entiendo, pero las intuyo)...y tu blog también. Te devuelvo la visita, gracias por darte una vuelta por mi pequeño espacio de locura, de tristezas y alegrías, espero que vuelvas, yo también volveré.
Vives en una ciudad preciosa, divina dónde siempre lo digo he pasado las mejores vacaciones de los últimos años, me encanta su barrio alto, su gente, la música (por cierto, tengo algo de Amalia en mi blog), el bacalao jeje...
Un abrazo

Véu de Maya disse...

Estou-e virei mais vezes-para lhe agradecer a visita-e manifestar o meu apreço pela sua bela poesia... tomo a liberade de linkar o seu blogue para acesso mais fácil...

abraço poético

Véu de Maya disse...

errata;

tomo a liberdade de...

Paula Raposo disse...

Em poucas palavras se diz muito. Gostei imenso. Beijos.

poetaeusou . . . disse...

*
os meus ais
são punhais de iodo . . .
,
abrç,
*

Humana disse...

Olá João,
gostei do poema e da foto tb!
Mãos que podem acariciar mas tb podem ferir não é?
Beijinhos

lena disse...

João Videira Santos um poema que nada lhe falta para dizer tudo



as mãos têm poder,
sensibilidade e sabem acariciar...



és poeta e os teus sentires brotam a cada instante


parabéns por partilhares o que é teu

é com prazer que te leio


um abraço


lena

VANUZA PANTALEÃO/OBRA LITERÁRIA disse...

Entre as mãos e o coração reside a emoção...Afetuoso abraço!!!

Anja Rakas disse...

Ai!

Paula Martins disse...

Amigo, lá nos brindaste mais uma vez com um maravilhoso poema, li e reli e cada vez que o fazia as poucas palavras parece que cresciam em rios do que se possa imaginar nas entrelinhas dos teus tão ricos sentimentos.

Beijinhos

mariam disse...

desejos contidos e/ou saciados, sensibilidade à flor da pele (literal)

muito belo!

bom resto de semana
um sorriso :)
mariam

Filoxera disse...

Eu acho que as palavras são, muitas vezes, espadas...

Graça Pires disse...

As mãos que de tão inquietas se identificam com o coração das aves... mesmo quando parecem punhais.
Um abraço, Amigo João.

Paula disse...

Olá boa tarde,
Agradeço o comentário de ontem... Fiquei com um imenso sorriso, mais uma vez, pela sugestão de publicar um livro. Em confissão posso dizer que é um sonho de criança, já escrevo os meus pensamentos e observações desde pequena. Enfim, "manias", mas de facto não sei como fazer e de que forma "lá chegar". No meu outro blog(http://aslgrimasdeumapapoilanegra.blogspot.com/) está um endereço de e-mail, se por acaso me quiser dar uma "dica"... Gostava mesmo de ser "atrevida" e pensar mesmo na sua sugestão.
Obrigada pelas visitas e simpatia:)
Paula

Parapeito disse...

a magia das mãos...que fazem sentir...que fazem viver...

*********

Olhos de mel disse...

Maravilha, meu amigo lindo! Mãos, quantas emoções encerram... mãos que abraçam, que apunhalam e que veneram!
Bom fim de semana! Beijos

pecado original disse...

São umas belas mãos. Tenho a certeza.

Caçadora de Emoções disse...

João,
Belíssimo!
Um Poema curto, mas com uma enorme intensidade.
Parabéns Poeta!

Beijo e um grande sorriso :)

SAM disse...

João é sensacional esta maneira de escrever pouco com um sentido enorme. Fica a poesia em nós...


Grande beijo

elizabeth m. disse...

Uma só palavrinha...fantástico!

Maria Anjos Varanda disse...

Achei lindo....
Palavras com muito sentimento...

Lindo mesmo...aliás como tudo que costuma escrever.

Beijos

JOICE WORM disse...

Olá João,
Cheguei para lhe dar boa noite. E vi aquela mão... pensava que era a minha, com a diferença que estas aqui não cortam nada... nem baralho.
Um abraço, amigo. Gostei da foto e do que escreveste. Muac!

paula simoes disse...

olá João

mais um poema lindo para juntar a outros tantos
eu sei que gosta de pintar, queria convidá-lo a passar no meu cantinho para ver os desenhos do meu filho
uma boa continuação com tudo de Bom

beijinhos do tamanho do Mundo

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Como eu gostava de ter a sua capacidade de síntese!

Anónimo disse...

Exposição em Brasília? Puxa, João, que luxo! Você merece! Êxito, muito êxito. Beijo

Dauri Batisti disse...

Mesmo que meu comentário fique lá no finzinho, ainda assim vou escrever.

Fiquei pronunciando seu poema e ele escorreu macio pela lingua, a minha, português do Brasil. Imaginei como seria levemente diferente com o chiado do português de Portugal. De qualquer modo é bonito.

~pi disse...

bem vindo a passages!:)

mínimo e belo!




~

pin gente disse...

as minhas mãos ferem porque não param de gritar
elas, que me entregam numa desforra... enlouquecidas
elas, que se afogam no teu sangue de queimar
e se matam a seguir mais que perdidas

uma abrço
luísa

JC disse...

Poema curto. Com mensagem bem definida.

Multiolhares disse...

As mão tanto podem dixrr, tanto podem fazer

abraço

Juani lopes disse...

corto pero con mucha personalidad
saluditos

Ailime disse...

Poema muita inspirado, com muito sentir.
"Com as mãos se faz a guerra e a paz também", com as mãos também se afaga ou o oposto!
Que perdure a magia do encanto das mãos enquanto instrumentos de paz!
Um abraço.

Vanessa disse...

Essas mãos cortaram seu coração?
Despedaçado ficou?

Porque algo parecido aconteceu comigo...

Beijos e Boa semana

Haere Mai disse...

Mãos! Mãos que escrevem, pintam...mãos de artista!
Poema curto e conciso. Belo!

Beijo azul

Mello disse...

As mãos dizem muito... têm uma linguagem própria, os gestos por vezes conseguem enfeitiçar...! As mãos são zonas terminais e, por isso, dotadas de grande sensiblidade...

As Mãos,bonito poema!
Beijinhos,

Graça Mello

Angélica disse...

Es hermoso lo que acabo de leer, gracias por compartirlo.
Saludos y un gran abrazo.
Bendiciones.

andorinha disse...

Uma surpresa boa encontrar o teu blogue. A poesia está aqui.
Um beijo.

joana disse...

Gostei do seu blog e estou completamente de acordo com o que escreveu,pouco mas o essencial esta la.
Beijinhos e uma boa semana

Elizabeth F. de Oliveira disse...

Um poema que diz muito com poucas palavras.
Abraços,

ANA DINIZ disse...

Mãos sensuais, arrebatadoras.
Mãos condutoras.
Mãos do amor.


Beijos, João!

Ana

pront'habitar disse...

podem matar


ou salvar

Baby disse...

Pelo mérito da sua poesia e também por amizade bloguista tomo a liberdade de repassar o “SELO PRÉMIO DARDOS” e convidar-te a continuar a caminhada.
Para mais pormenores visita a página BARLAVENTO

Daniella Paula disse...

Que vôos! Adorei o seu canto...
Obrigada pela visita, volte sempre! =)

Cheiros na alma!

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Quanta verdade existe nesta palavras.
um grande abraço

BANDEIRAS disse...

Ah...as mãos...fazem tantas delícias...não posso e nem devo pensar nelas agora...mas gostaria de senti-las em meu corpo. As mãos de meu amado são como plumas em meu ouvido: me fazem arrepiar.
Grande abraço.

Maria Liberdade Oliveira dos Santos disse...

Parabéns pela bela inspiração, poucas palavras, grandes efeitos!
Beijos iluminados no seu coração.

videira disse...

Adorei a poesia e adorei seu blog também,de uma talvez quem sabe parente Marcia Videira