quinta-feira, 23 de outubro de 2008

"SÓ, SEM TI"... foi há quarenta e quatro anos!!!



Estão a ver este pedaço do cabeçalho do jornal "A Bola"?

Pois bem, neste minusculo pedaço de papel de jornal escrevi a primeira letra para canção.

Escrevi-a há muitos anos.

Tantos que até me parece incrivel que tenha sido...há tanto tempo.

Precisamente no dia 29 de Outubro de 1964!

Era um jovem. Muito jovem, mesmo!

Escrevi esta letra na rua, ali, junto ao Largo de Camões, em Lisboa.

Tinha acabado de tomar café n'"A Brasileira" do Chiado e aceite o desafio dum conhecido para escrever uma letra em Português para um dos "roqueiros" da época e seu amigo.

Fernando Conde, de seu nome, um yé-yé à época, um dos "meninos charmosos" dos espectáculos de rock que se realizavam pelo país.



Fernando Conde, jovem, janota, bem parecido, cantava canções de Cliff Richard, Elvis Presley e Chuck Berry e fazia-se acompanhar pelos "Electrónicos", um conjunto de guitarras eléctricas e bateria.



Levado à presença daquele interprete, ele olhou para letra que era simplicissima e banal, pegando numa viola de caixa logo ali "alinhavou" a musica.

Perguntou-me se gostava.

Nem respondi, tal foi o entusiasmo de, dum momento para o outro, me ter tornado co-autor duma canção.

Refreado o entusiasmo, apercebi-me que, na verdade, a melodia era bonita, romântica, mas contrastava com as canções que Fernando habitualmente cantava.


Ele era um "roqueiro" nato e só no meio das suas actuações cantavas uma ou duas baladas de Cliff Richard.

A canção, "Só, sem ti", assim chamada, foi ensaiada vezes sem conta na garagem da vivenda dum dos guitarristas d'"Os Siderais", em Algés.



Posta à apreciação dos amigos e, sobretudo, das muitas fans que o Fernando tinha, ela foi "mais que" aprovada.

Pode parecer exagero, mas as meninas convidadas a ouvirem os ensaios "deliravam" com a canção.

Algumas chegaram mesmo a chorar de emoção.

(O que, francamente, me deixava "aparvalhado". Desculpem lá hoje-avòzinhas...)

Finalmente, no dia 17 de Dezembro de 1964, no Teatro Capitólio, em Lisboa, a canção foi estreada.

Foi um êxito!

As moças deliraram e eu, bom, eu não queria acreditar no que ouvia e via!

"Atacado" por forte emoção chorei.

Chorei e bastante!

Saí do teatro em lágrimas amparado pelo locutor António Campos, o qual viria a ser um fiel e dedicado amigo.

A canção seguiu o seu curso normal e Fernando Conde, até ao final da sua carreira, nunca deixou de a cantar.

Infelizmente, nunca foi gravada comercialmente.

As gravações que existiam foram feitas pelos antigos Emissores Associados de Lisboa e a canção, para além dos espectáculos, só aí podia ser escutada.

Algum tempo depois, escrevi a versão inglesa e um conjunto de estudantes escoceses incluíu-a no seu reportório.

Chamavam-se: Peter Scotish Group

A pauta da musica, essa, está ali, na gaveta e para além do tempo que a amarelou, é uma feliz lembrança.

Afinal, trata-se da minha primeira co-autoria.

Completa quarenta e quatro anos de escrita e estreada e isso, desculpem, não esqueço.



Para o Fernando Conde escrevi a versão Portuguesa duns quantos rocks, mas "Só sem ti" era "aquela", era a canção de que "elas" gostavam.

O tempo passa, as memórias ficam e esta, está viva.

Guarda-se nos momentos felizes de outros tempos.

Afinal, foi aí que iniciei o meu percurso publico.

=========================

Nota:

Fernando Conde e eu, somos citados em...

55 comentários:

Hugo de Oliveira disse...

Oi,como vai? To tes esperando no meu blog passa lá...viu

abraços

Manuel Rosa Castro disse...

Ah! meu "bom malandro", eu sabia que te conhecia e não lembrava donde.Lembro bem de ti e do Fernando. Bons tempos, bons "roques", bons bailes,tudo em grande. Como posso contactar-te? Um grande abraço poeta-roqueiro.

Mello disse...

Parabéns pelos 44 anos de escrita!

A letra da sua primeira música " Só, Sem ti", continua bastante actual.

Tem razões mais do que suficientes, para ficar emocionado e para comemorar.

Beijinhos dos Açores,

Graça Mello

JOICE WORM disse...

Oi João,
Neste ano de 64 tinha eu 3 aninhos. Vivia no Brasil e não me passou pelos ouvidos a música. Ou se passou, com muita pena, não recordo. Também queria conhecer a sua letra. Pode enviar p'ra mim? É que a foto está tão pequenina que não dá para ler.
Um beijo para ti e por esta belíssima oportunidade de vida que tivestes.

mundo azul disse...

...algumas coisas, não esquecemos jamais! São aquelas que nos fizeram, pelo menos por alguns instantes, felizes...

Grande poeta, o meu carinho e o meu apreço!


Beijos de luz e muita alegria no seu coração

elisabete fialho disse...

44 anos são os que tenho sem tirar nem pôr
João, gostei da sua partilha
É sempre agradavel sabermos um pouco mais de alguém de quem admiramos.
Obrigado por este momento
Um abraço

Fatima disse...

Bom dia
Por acaso a vivenda dos ensaios não era ali para a Rua do Mirante, em Algés?
Bom fim de semana

Paula disse...

Olá bom dia,
belas memórias...o tempo parece passar a correr.
Parabéns!!!
Bjitos,

Paula

La Lola disse...

Bonita historia y muy nostálgica, el tiempo pasa sin darnos cuenta....Me hubiera gustao oír esa canción.
Un abrazo querido Joao

João Videira Santos disse...

Meu caro João

Fui alertada esta manhã para o teu post por uma amiga que desde há meses visita o teu blog.
Vim ver e confesso que uma saudade imensa invadiu o meu coração.
Lembro o Fernando e a ti como dois jovens educados e nada pretenciosos.
Há anos que nada sabia de vocês.
Se a memória não falha,a última vez que vos vi juntos foi quando o Fernando actuou no Casino Estoril.
Entretanto,já passaram muitos anos.
Pelas fotos que exibes no blog vejo que continuas com o charme de sempre,embora o teu visual tenha mudado.Constacto o quanto a poesia continua a ter força na tua inspiração.
Gostei de saber de ti.
Desejo-te muita saúde, as maiores felicidades.
Um abraço e um beijo da quase bisavó e fã de sempre
Teresa Novais

João Videira Santos disse...

O comentário anterior é transcrição do mail que recebi de Teresa Novais.
A quem agradeço a simpatia e lembrança.

pyb (Elisabete) disse...

Parabéns pelos 44 anos do "Só, sem ti"; sente-se a nostalgia, natural, que acompanha as suas palavras neste post. Apesar de ser apenas dois anos mais nova do que a sua canção, constato que há momentos, canções, palavras, amizades que nunca morrem - apesar do tempo que faz todas as distâncias - para aqueles que as souberam apreciar. Parabéns!

Lopes Fialho disse...

Feliz a hora em que descobri o seu espaço. Lê-lo é reviver. Fernando Conde, Os gatos negros do Vitor, quem não se lembra do velho rock português. Sem ser saudosista não me importaria de estar nesse tempo, só porque então ainda seria menino e moço. Obrigado por me ajudar a reviver a minha mocidade.

Paula Raposo disse...

Momentos que nunca esquecemos. Parabéns!! Beijos.

Angela Ladeiro disse...

Maravilhosas memórias...1964, veio o meu noivo da guerra (obrigatória!),casei, tive uma filha... enfim...era uma menina e com muitas ilusões e medos. Obrigada por recordar os nossos tempos! Um beijo

Angela Ladeiro disse...

...e a música...uma maravilha para os nossos saudosos ouvidos...

carla mar disse...

Beijo meu ;)

(em 64 ainda não estava cá!)

Beatriz disse...

Um lindo e terno momento este em que tua memória deixou passar lembranças tão especiais para o teu coração. Grata por partilhar conosco esta parte tão importante da tua história.

Fica meu apreço e admiração.

mié disse...

Oh meu amigo...


Parabéns. Afinal fico a conhecer um dos letristas do nosso rock, é uma honra...a música não a conheci...tinha só 10 anitos em 64 e estava muito looooonge.

São estas coisas, estes sentimentos, estas emoções, que quando olhamos para trás nos dão certezas de que a vida vale sempre a pena.

Um abraço

Parabéns por tudo isso

Lúcia disse...

João
Delícia de post - bocados de vida aqui entornados. Ainda por cima, interessante.
Beijos

mariam disse...

João,
Muitos parabéns!
não só por esta efeméride, também por ser a pessoa que é e por tudo o que generosamente partilha neste seu blog... vivências, esperiências, sua arte em todas as vertentes...sensibilidade...
gosto muito d'aqui!
Out/64...eu tinha 6 mesitos à data!

bom fim-de-semana
um grande sorriso :)

mariam

Paula Martins disse...

Querido joão, fiquei emocionada com o teu memorando, na altura eu tinha apenas 5 meses de vida, razão pela qual não posso reportar a minha memória á época. Como é obvio não conheço bem o teu percurso mas mesmo assim sinto muito orgulho em ti, tens muito para ensinar...obrigada por existires.
Beijos desta tua Amiga.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querido João, fiquei muito feliz com o teu post!
O nome de canção não me é estranho, nasci em Janeiro de 51, teria portanto trezes anos e adorava músicas e canções, como ainda hoje, que não adormeço sem música... Querido joão, obrigada pela partilha, agradeço-te de coração... Bom fim de semana,
beijinhos de carinho,
Fernandinha

BlueVelvet disse...

É tão bo ter recordações destas.
Mas eu era tão canininha, mas tão canininha que nem desconfio quem foi Fernando Conde:))
Sorry e bom fim-de-semana

Marta Vasil disse...

Um retalhinho de vida com sabor a nostalgia, a saudade, não é?
Lágrimas nos momentos fortes da vida quem as não deixa escapar?
Com muita pena digo que não conheço a canção. Talvez distracção minha... Seria possível um post com a letra?

Obrigada por mais esta diferente partilha.

Bom fim de semana.

MV

Ailime disse...

Grandes memórias de tempos idos, do Chiado, da Brasileira de então!
A zona de Lisboa de que mais gosto!
Ainda me lembro de ouvir o Fernando Conde e, claro, eu lembro-me bastante de ouvir o amigo Videira Santos na Rádio.
Parabéns pelo seu percurso de vida e por partilhar estes momentos tão felizes!
Um beijo.

Marcia Barbieri disse...

Gostaria de envelhecer e ter uma lembrança assim gostosa.

beijos ternos

Carol Rezende disse...

Depois de tanto tempo longe do Blogger foi gratificante ler tua história. Me arrepiou toda ^^

mdsol disse...

Parabéns! Que pena não haver aí uma gravação da canção para nós ouvirmos!
:))

f@ disse...

Parabéns por essa canção e todas as outras... tb pelos poemas e criatividade que tenho visto por aqui...

Beijinhos das nuvens

Violeta disse...

assim (também) se faz uma vida...

Fatima disse...

Venho responder à pergunta:
O barulho a mim não me incomodava, mas fui assistir a uns 2 ensaios...
E jogava hóquei a fingir num terraço enorme que havia perto dessa vivenda.....
Outros tempos de Algés!

SAM disse...

Maravilha, João! Fiquei conhecendo um pouco mais sobre o amigo...Agradeço a partilha e o felicito pelos 44 anos deidicados a arte. Pena não ter conseguido visualizar a letra da canção...Fiquei curiosa! Tinha quase 8 anos na época...


Grande abraço e carinhoso beijo para o quase bisavô inteiramente talentoso!

Carecaloira disse...

Que boas recordações.

Bom Domingo
Um beijinho
Marina

São disse...

Além de cantar, participou como galã numa fotonovela da "Crónica Feminina", mas nunca o achei interessante ...
Que é feito dele?
Feliz semana.


E , já agora, também não acho interessante estas letras que temos que copiar, rrrssss...

JC disse...

Não sabia dessa sua faceta. Recordarmos coisas que fizemos ainda que num passado recente´é sempre bom. E quando elas deixam marcas... muito melhor. A nostalgia com que por vezes o fazemos transporta-nos para esses tempos maravilhosos da nossa vida.
A emoção por vezes é mais forte do que nós e despois prega-nos algumas partidas.
Abraço

~*Raíssa Sant'Anna*~ disse...

Meus parabéns pelo sucesso ;)

Grande abraço

Juani lopes disse...

felicidades por todos esos años, esperemos que podamos disfrutar de otros tantos mas
saluditos

Vera disse...

Caro João, que tempos maravilhosos! Sucesso mais que merecido, o que me faz pensar que a Arte invadiu-te totalmente, de variadas formas, desde sempre.
Gostei muito de saber :)

Beijinhos

fgiucich disse...

Hermoso recuerdo!!! Abrazos.

Graça Pires disse...

Posso imaginar a emoção desse tempo. E a de agora também, passados os 44 anos. Parabéns. Um abraço.

Deusa Odoyá disse...

Olá meu estimado amigo João.
Que deus possa te dar mais 44 anos de vida.
Quantas saudades e lembranças boas.
A vida passa muito rápido, mas as lembranças marcam e ficam no fundo da nossa alma.
Beijos e uma semnan de paz e luz.
Que deus o abençoe sempre.
Sua amiga do lado de cá.

Regina Coeli.

Te aguardo em meu cantinho, viuuuuu.

Anónimo disse...

João meu amigo poeta! que lembrança valiosa, e que bom saber que essa emoção está bem viva dentro de você, e isso acontece porque você é uma pessoa com sensibilidade de artista nato! desde cedo acreditando e apostando na arte! parabéns por isso e muito mais... beijos da amiga carioca!

Cristina Nunes

Justine disse...

Que bom é recordar essas conquistas e aventuras da juventude! Parabéns :))

Humana disse...

Olá João,
adoraria ouvir essa musica!Mas ninguém que conhece a pode cantar?
Agora ficou uma curiosidade enorme.
Que a letra é linda eu tenho certeza e se as meninas deliravam...eu já não sou menina mas deliraria concerteza!
Gostei de saber um pouco mais sobre si.Adoro visitá-lo!
Beijinhos

Nunca é tarde para ser feliz! disse...

João, você diz que "era" um jovem!!! Não você "é" um jovem!!! Um jovem de belas palavras que alegram os que as lêem!!! Parabéns!!

Rotiv disse...

Olá :)
O Blogue dos Manteigas passou por aqui, via Rosmaninho da Serra :)
Um abraço,
http://bloteigas.blogspot.com/

Viriato Teles disse...

Já lá vão 44 anos, dizes tu? Quer dizer que começaste a escrever ainda no berço... ;-)
Grande abraço, João.
E força na caneta!

Pelos caminhos da vida. disse...

Parabéns por todos esses anos de escrita.

Obrigado por visitar meu espaço,volte sempre.

Boa noite.

beijooo.

Ana Martins disse...

esta época da sua vida está bem viva nas suas memórias, e assim permanecerá, faço votos que por muitos e longos anos.
Sente vaidade, é normal, afinal é o seu primeiro grande êxito, no seu lugar também eu me sentiria assim.
Não me lembro desta canção nem dos êxitos desse ano, pois foi o ano em que nasci.

Beijinhos

Blog da Mulher Necessária disse...

João, história cativante...deu-me vontade de ir até o lugar exato em que escreveste a canção e reviver talvez a mesma juventude tua e minha que ficou por aí, no tempo, nas ruas, nas cidades, nos ventos...
virei tua fã...sabes?
beijo
Cida Torneros

Victor disse...

Fatima
Vale + tarde que nunca
Jogava hoquei num grande terraço???
Qual???
Seria ao lado da garagem???

Victor Queiroz
Carocha
Electrónicos e Siderais

Victor disse...

Boa noite mdsol e humana
Talvez, talvez a possa ouvir se o Fernando Conde a quiser gravar. Está a ser difícil convencê-lo, embora eu tente...

Victor Queiroz
Carocha

Electrónicos e Siderais

Victor disse...

Olá caro João Videira Santos
Tem que contar o que se está a passar nos bastidores.Não acha???
As pessoas têm que saber dos nossos esforços para que o "Só, sem ti" renasça. E tambem as outras, como por exemplo "La chanson symbolique" e "trying to forget" (e mais) já estou falando demais...
Caro amigo João,bom retiro e falaremos no dia que chegar...
O seu publico vai gostar destas novidades...

Grande abraço

Victor Queiroz
Carocha

Victor disse...

Olá caro João
Cegou bem???

Grande abraço

Victor