terça-feira, 15 de abril de 2008

abismos da noite



sobre o abismo da noite, onde o pleno esvazia a míngua, meu universo vacila, entre a fantasia dos relâmpagos alvorados e a adoração das trevas...

se o dia acordar e o meu olhar cavalgar na fúria do galope, é quase certo que preferiria que os monstros escuros continuassem a ser habitantes do universo em que a fantasia não vacila ante o temor do fantasma da noite.

se assim não for, continuarei na procura dos tesouros marinhos, onde o sono se fantasia e os olhos a pleno, são engolidos por pássaros carcomidos que, mergulhando nos meus mares, derrotam a aventura sem receios.

3 comentários:

João Silva disse...

Como sempre, em tudo o que faz, deixa rasto de qualidade e inteligência. Um abraço do João silva

Anónimo disse...

Há sempre uma sombra esgueirando por detrás das suas palavras...Beijos e um dia feliz, João!

Zélia

Leonicia Araújo disse...

Um texto que mergulha em sentidos diversos e que cativa. Voltarei mais vezes.