terça-feira, 8 de abril de 2008

com este grão...



com este grão

que trago

em minha mão,

matei a fome,

semeei o pão.



...e para que o medo não me tomasse

plantei um homem

para que o futuro vingasse.

5 comentários:

Anónimo disse...

Objectivo e lindo. Parabéns. Lucia Mata

Anónimo disse...

Belissímo.Parabéns! Andrade Gomes

Anónimo disse...

Um poema com multiplos sentidos sociais. Diferente. Direi: Excelente! Rosa Maria

Carina Marques disse...

Para ler e meditar no que não foi escrito...Bjs Carina Marques

Anónimo disse...

Lindo, João! Carina e Paulo Silva